junho 06 2018 2Comments
tipos de extintores

Quais são os tipos de extintores?

São os 5 tipos de extintores disponíveis no mercado, são estes:

    • Base de Água: É aquele em que se projeta a água em jato ou pulverizada, possui recipiente recarregável e com capacidade entre seis e nove litros e sua descarga é feita por meio de um filtro;
    • Espuma: É uma mistura de espuma obtida com água, a qual se mistura com ar para ser descarregada através de agulhetas;
    • Dióxido de Carbono: ou também conhecido como Extintor de CO2. O armazenamento do conteúdo químico é feito sob pressão e a uma temperatura de 18° C, mas na vaporização essa mesma temperatura consegue abaixar para -78° C. O manuseio deste tipo de extintor deve ser realizado com o máximo de cuidado senão você poderá sofrer queimaduras graves;
    • Pó: Contem, em seu interior, pó químico seco. É um dos mais comuns e pode ser utilizado na maioria das classes de fogos.

 

Classes de Fogo

Agora que você já conhece os tipos de extintores é importante que saiba qual é a classificação do fogo e/ou sua chama para saber como utilizar corretamente o extintor em caso de incêndio.

    • Classe A: São aquelas combustões comuns onde os materiais deixam resíduos como, por exemplo, papel, madeira, plástico e couro;
    • Classe B: São aqueles em que o fogo atinge os gases e líquidos inflamáveis como a gordura, gasolina e os solventes;
    • Classe C: São aqueles em se atingem os equipamentos elétricos e as fiações;
    • Classe D: Este tem menor ocorrência e atinge os metais que pegam fogo como, por exemplo, magnésio, bário, potássio, alumínio e titânio;
    • Classe K: Este ocorre em gorduras e óleos em geral como nas cozinhas industriais ou residenciais.

 

Casos e situações em que cada extintor é utilizado

Como você mesmo pode verificar cada tipo de incêndio é classificado de acordo com uma categoria especifica e para cada um existe um extintor adequado que você conhecerá agora:

    • Extintores da Classe A: São os mais indicados após a extinção do fogo para isolar o local do risco de propagação do incêndio já que possui a característica de resfriamento do material, o qual é facilmente penetrável;
    • Extintor da Classe BC: Utiliza-se o extintor de Dióxido de Carbono que remove o oxigênio dos focos de incêndio, não reage com a eletricidade e nem deixa os resíduos no local;
    • Extintor de Pó ABC: Pode ser utilizado na maioria das situações sem a necessidade de identificação do tipo de incêndio e pode ser operado por qualquer pessoa, inclusive aquelas que não têm treinamento;
    • Extintor da Classe C: Não conduz corrente elétrica;
    • Extintor de Pó Especial: É o único que deve ser utilizado em casos de incêndio da Classe D. É utilizado o cloreto de sódio para abafar o fogo e evitar o seu contato com o oxigênio, ou seja, há o abafamento.

 

Alguns cuidados essenciais com o uso de Extintores

Quando o incêndio ocorre é natural que as pessoas fiquem com medo, mas não se deve agir de forma instintiva para não piorar a situação. Problemas como esse devem ser resolvidos com muito cuidado e atenção. Desta forma, é necessário sempre identificar o tipo de incêndio e classe do fogo para realizar o controle de forma correta e eficaz. Para isso tome as devidas precauções:

    • Incêndio em aparelhos eletrônicos: Jamais jogue água, pois a mesma conduz eletricidade, ou seja, o incêndio irá aumentar;
    • Com produtos químicos: aqueles que ocorrem com o pó. Evite também o uso da água que reage imediatamente e de forma violenta;
    • Jamais retire do extintor o lacre, selo ou etiquetas.

 

Alguns cuidados durante a instalação de Extintores de Incêndio

O projeto de instalação de extintores num prédio ou condomínio deve levar em consideração as normas técnicas da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas).
O extintor deve ser instalado num local onde haja a menor possibilidade do fogo bloquear seu acesso, seja visível para que todos que circulam pelo ambiente possam saber de sua presença, fique protegido contra intempéries e que sua retirada não seja dificultada.

  • Verificar o local onde o extintor está instalado;
  • Informar à família sobre o local;
  • Saber que tipo de fogo deve ser apagado com o extintor em seu prédio ou condomínio;

Problemas mais comuns:

  • Nem sempre os moradores sabem onde fica o extintor, especialmente em grandes condomínios;
  • Falta uma cultura interna para saber a importância desse item no local;
  • Em alguns casos, ele fica num local de difícil acesso.

 

Manutenção do Equipamento

Os extintores devem ser submetidos à manutenção periódica, sempre de acordo com as normas vigentes, e seja respeitado o prazo de validade do mesmo.
Os responsáveis pelo condomínio devem fazer a troca e controle dos equipamentos, nunca deixando estender o período de validade, e sempre procurando trocar o extintor antes do prazo de vencimento.

  • Todos os extintores possuem um prazo de segurança que deve ser respeitado;
  • A manutenção e troca do item deve ser feita pelos responsáveis pelo mesmo zeladores ou síndicos);
  • A empresa que fará a substituição deve deixar extintores substitutos no local para garantir a segurança de todos.

Problemas mais comuns:

  • Um dos problemas mais comuns é esquecer o prazo de validade do extintor para fazer sua troca. Uma dica é sempre trazer o assunto em reuniões de condomínio para lembrar da data de manutenção.

 

Itens de Segurança:

Na hora de trocar ou escolher o equipamento, os responsáveis devem ficar atentos a alguns itens essenciais:

  • O extintor deve conter o selo do Inmetro, mangueira, prazo de validade, lacre intacto, não apresentar sinais de desgaste e manômetro.
  • Aparelho que indica a qualidade do conteúdo, que deve sempre indicar a cor verde.
  • É importante também ter um responsável pelos documentos de inspeção técnica.
  • Verificar todos os itens de segurança, de acordo com o Inmetro;
  • Comunicar ao zelador caso tiver algum problema com o equipamento.

Problemas comuns:

  • Assim como o problema da data de validade, a falta de cuidado com o item é recorrente. Alguns ficam expostos à ação do tempo e devem ser inspecionados regularmente. Em condições normais, a ordem é que os de Gás Carbônico sejam revistos a cada 6 meses e os demais, anualmente.

 

Treinamento Específico:

Para o uso correto dos extintores, é necessário um treinamento para um grupo de pessoas dentro do prédio e condomínio, assim, durante um foco de incêndio, elas já terão conhecimento prévio para utilizar o equipamento e colocá-lo em prática.

É indicado que essas pessoas responsáveis passem por um treinamento anual com profissionais habilitados no assunto, como representantes do Corpo de Bombeiros, para facilitar a usabilidade dos mesmos.

  • Saber quem são as pessoas treinadas no meu prédio ou condomínio;
  • Estar sempre em comunicação com os mesmos para atualização do treinamento;
  • Se interessar por esse assunto para garantir ainda mais segurança a sua família.

Problemas comuns

  • Falta de pessoas interessadas;
  • Falta de compromisso para o treinamento e segurança do local;
  • Poucas pessoas capacitadas para usar o extintor.

admin

Engenheiro Civil, apaixonado em Arquitetura, fundador da Royale Engenharia.

2 comments

  1. Boa noite! Tudo bem? Sou Marcos Calebe, somos os maiores importadores e distribuidores de materiais de proteção e combate a incêndio do Brasil. Fornecemos mangueiras, válvulas, conecções ranhuradas, detectores de gases, sprinklers, etc. Se estiverem precisando desses materiais estou à disposição.

    Responder
  2. […] previsão de tipos de extintores diferentes em um mesmo piso, de forma a atender princípios de incêndio em materiais diversos, […]

    Responder

Write a Reply or Comment